13/01/2016

Não esqueça da gorjeta no HopdoddyFree Pass

Diogo Carvalho

Austin talvez tenha casas de Texas BBQ e hamburguerias na mesma proporção. É toda uma paixão pela brasa forte e pela cultura da carne, só pode ser isso. Tô falando que esse lugar é um sonho, talvez agora vocês parem de achar que eu tô exagerando e comecem a me dar crédito.

A cidade é dividida pelo Colorado River, tendo na margem superior toda a parte financeira, universitária, comercial e o complexo hoteleiro, e na margem inferior uma área mais residencial. Não é uma regra, tem gente que mora na parte de cima do rio, sim, e tem comércio na parte de baixo também, estou contextualizando de modo geral.

A cidade deve ter umas cinco grandes avenidas que cruzam por cima do rio, e uma delas é a Congress Avenue, uma das mais legais de Austin com uma infinidade de bares, baladinhas e coisas que os locais que fogem dos grandes eventos costumam frequentar. Esse trecho foi apelidado de SoCo - South Congress - e casualmente foi onde moramos por alguns dias.

Nesse sobe e desce por SoCo, na maioria das vezes cruzando pela Congress Avenue, passamos, sei lá, umas quatro vezes por dia no mínimo pelo Hopdoddy, a hamburgueria que detém um dos títulos mais cobiçados pelos americanos: maior fila. Já falei antes que para tudo tem fila, nunca vi gostar tanto duma fila, deusulaive.

Nem adianta dar uma de brasileiro malandrão dividindo o time e pedindo para um sentar enquanto o outro pede. Somente quando o pedido é feito lá na linha de chegada é que a tia dá um tiqui com o número da mesa, queridão. Não faz diferente senão a mãe fica chateada e te manda de volta para casa.

A tara dos caras por fila gerou uma demanda em torno de criação de atrações ao longo da espera, de modo a suavizar o tempo que separa a chegada à boca do caixa para tirar o pedido. Como sou desses e me influencio mesmo, tipo criança em supermercado que fica hipnotizada com aquele monte de embalagem colorida, decidi pegar uma witbier texana que não lembro o nome mas era aquela que o moço tá dirigindo (é dirigindo que fala quando o cara serve cerveja?) ali embaixo.

É tudo uma operação separada, se pediu coisa na fila, paga na fila mesmo. Daí quando o cara vence essa etapa do bar, que fica no meio do caminho, já é possível avistar a linha de chegada. Na mão direita de quem vai é a fila, e na esquerda estão os frufrus de molhinho, refri, talheres, guardanapo. Meu sonho é passar por ali e escolher as coisas olhando por cima do ombro para o pessoal da fila.

Calcula o grau da faixa desse samurai para carregar tanta coisa assim. Foi ele quem me explicou o esquema do nome do lugar: o Hopdoddy é um lugar que celebra a perfeita união entre cerveja e hambúrguer, então eles juntaram duas abreviações: “hop” que é como os locais chamam as craft beers, e “doddy”, o apelido do gado nativo de Aberdeen. Só por essa ele deveria ganhar mais um grau na faixa.

Chegamos no caixa finalmente, depois de aproximadamente, deixa eu pensar quanto tempo demorou pra tomar metade da minha cerveja, sei lá, uns 12 minutos, e fizemos nossos pedidos. Lógico que sem esquecer da gorjeta até porque não quero ser o responsável por ataques de tubarão, aumento da calvície nem pelo apocalipse zumbi, e super quero aumentar minha libido.

Ganhamos nossa senha e fomos à mesa tlinta e tlês comer com toda a calma do mundo, curtindo cada minutinho. A fila não diminui em momento algum, o meu bruxo do setor das cervejas pilota aquelas coisas o tempo todo e as tias da grelha não conseguem nem atualizar o whats, coitadas. É uma fábrica de dinheiro esse lugar, e seguramente que o hambúrguer seria bom porque, pode ter um que outro louco, mas é impossível que exista tanta gente assim que goste de comida ruim.

A Re pediu o Primetime, um burger de Akaushi (uma raça japonesa rica em marmoreio), queijo brie, aioli trufado, rúcula, tomate, cebola caramelada e steak sauce. Sensa, e para comer um burger foda que nem esse com um nível top de marmoreio nem foi preciso vender um órgão, era o mesmo preço dos demais.

Sou conhecido por tentar inovar e pedir coisas estranhas movido pela minha curiosidade. Sou conhecido, também, por me estrepar nessas porque seguidamente faço bobeira e gasto um cartucho numa coisa bem blé. Como tudo, lógico. Mas poderia utilizar esse pedacinho de apetite com coisas mais interessantes. Às vezes acerto muito, mas às vezes erro muito. Na condição de sommelier de hambúrguer, me vi em uma situação em que precisava jogar na defensiva, até para testar a originalidade do clássico deles. Me fui no Classic, com burger de Angus, alface, cebola, tomate, molho da casa e bacon cheese. Valeu a pena ter sido conservador.

O resultado disso tudo é que custou 16 dólares por pessoa (contando com a gorjeta, para o bem de todos vocês!) atestando que de fato eles merecem a fila que têm, e que novamente vale cada segundo de espera. Inclusive voltamos no dia seguinte para comer novamente - e fizemos exatamente os mesmos pedidos, naquela vibe de conservadorismo, etc.

Hopdoddy Burger & Bar
1400 S, Congress Avenue - SoCo
Austin - Texas - EUA
Fone: (512) 243.7505
Aceita todos os cartões

www.hopdoddy.com

Diogo Carvalho